Testes de compatibilidade

By 21 Maio, 2019Fachadas

Por que é tão importante no seu projeto de fachadas?

Um teste de compatibilidade confirma ou analisa quão estável uma substância está quando em contato ou aderida a outro substrato. Vai garantir que os contactos entre os dois materiais não alterem as propriedades de cada um deles e que os dois materiais sejam os mais adequados ao tipo de aplicação para o qual estão a ser usados. Durante o desenvolvimento de um projeto de fachada, existe uma grande combinação de produtos aplicados por diferentes aplicadores em fases diferentes do projeto. Em relação à temática de impermeabilização, os problemas mais comuns são: 

  • Migração de compostos orgânicos voláteis (VOCs);
  • Falha de adesão entre as superfícies de 2 produtos;
  • Quimicamente os produtos não são compatíveis quando em contato;
  • Descoloração;

Imagem 1 – Problemas de compatibilidade

Um problema de compatibilidade vai interferir diretamente na expetativa de vida do produto e até mesmo causar a falha no seu sistema contra o vapor/água/controlo de ar. Portanto, é imperativo que sejam executados testes de compatibilidade quando o comportamento entre dois ou mais produtos, estando estes dois em contato ou em aderência, seja desconhecido. Dependendo dos produtos, as condições atmosféricas e o tipo de aplicação, serão determinados quais os testes a ser executados para se confirmar a compatibilidade. Por exemplo, quando é testada a adesão entre uma membrana para fachada EPDM e uma membrana betuminosa para cobertura de polímero modificada na área de adesão, um teste de resistência ao cisalhamento e ao arrancamento podem ser aconselháveis.

Imagem 2 – Detalhes da conexão entre uma membrana EPDM e uma membrana de cobertura.

Imagem 3 – Teste ao cisalhamento e ao arrancamento (EN12317:2 & EN12316-2); Caracterização da falha de adesão (EN ISO 10365).

Por vezes, os testes acima são combinados com testes atmosféricos. O objetivo destes testes é determinar qual o comportamento da área aderida contra as constantes mudanças climatéricas. Este teste mostra a possível falha de adesão entre um adesivo e uma superfície de substrato em caso de má aderência. O gráfico abaixo mostra 2 ciclos de testes. 

Imagem 4 – Teste de câmara climática

A conclusão é obvia, um estudo de compatibilidade entre os materiais é crucial. Na generalidade, os produtos estão otimamente especificados individualmente, mas podem falhar no local da aplicação. Todos os envolvidos no projeto, tanto arquiteto como consultor e aplicador devem ter a responsabilidade de especificamente supervisionar e testar este assunto. Uma incompatibilidade resulta numa menor eficiência do edifício, vazamento de água, condensações, entre outros problemas – que depois resultam em altos custos de correção e por vezes, não se consegue arranjar uma forma adequada para se poder solucionar o problema.

Testemunho de um Parceiro

effisus

 

 

 

Ringo Perez Gamote – Research Associate. CC Building Envelope
Lucerne University of Applied Sciences and Arts Engineering and Architecture.

“Os testes de compatibilidade são cruciais para evitar os problemas de fachada. Durante o desenvolvimento de um elemento de fachada, ou até mesmo da sua instalação, é muito frequente que as membranas ou as juntas estejam em contato. Neste caso, desenvolver um teste de compatibilidade é muito importante para evitar reações inesperadas entre os componentes que resultem em problemas de permeabilidade.

O uso dos componentes que vem do mesmo fornecedor reduz o risco. Normalmente, o fornecedor já tem disponível este tipo de teste, entre os seus produtos, para ser capaz de aconselhar e indicar de forma rápida qual o design mais adequado. Isso reduz o tempo investido no desenvolvimento do projeto bem como o número dos testes de compatibilidade que têm de ser executados.”

Leave a Reply

Estou à procura de...

 

 

x